“Amor não se pede, é uma pena.” [Tati Bernardi]

Não é só amor que não se pede. Não se pede pra ninguém ser seu amigo,também. Não se pede pra rirem das suas piadas,pra irem com a sua cara, pra quererem lhe convidar pra festas. Nada disso a gente pede. A gente não pede pra conseguir emprego também. Pra passar no vestibular. Pra ser feliz, a gente pode pedir a Deus, mas a mais ninguém.

Não se pede também as coisas ruins. Não se pede pra alguém odiar você. Não se pede pra ser indiferente à sua existência. Pra falarem mal de você,pra lhe evitarem, pra lhe trocarem, pra guardarem mágoa de você. Não se pede por isso.

Claro, você se esforçar pra conseguir o que quer. Você pode tentar muito,fazer por merecer,
parecer mais simpático,mais competente,mais bonito,mais doce,mais atencioso,o que quer que seja que ajude nos seus objetivos. Mas nem sempre vai funcionar.

Eu passei a vida toda fazendo isso. Me esforçando. Me esforçando pra melhorar algo que o mundo inteiro me dizia que era insuficiente em mim: simpatia,doçura,inteligência,beleza, confiança,sociabilidade,maturidade. Eu fiz e continuo fazendo tudo que posso pra simplesmente melhorar, pra conseguir chegar em algum momento em eu possa ficar em paz comigo mesma sem que ninguém chegue pra apontar o que ainda falta acabamento.

E sim,eu sou esforçada. Se a proposta é ser amiga de alguém,eu não vou ser qualquer amiga,eu vou ser a melhor amiga que essa pessoa puder ter. Se eu sou funcionária de uma empresa,sim,eu vou fazer o possível e o impossível pra ser a melhor que eu puder ser.

E não, não é pra competir com ninguém. É porque se eu passei tanto tempo ouvindo que eu era incompleta,insuficiente,eu vou fazer o possível pra esconder as minhas falhas e atingir todas as suas expectativas. Eu não quero te dar a chance de abrir a boca pra falar que falta algo,ou que algo não foi tão assim do jeito que você esperava.

É aí que entra a minha ascendência virginiana me dizendo que todo o meu comportamento precisa ser impecável,perfeito,sem nenhum fio solto.
Mas esse comportamento não é garantia de nada,sabe. Muitas vezes eu me esforcei e fiz absolutamente tudo que estava ao meu alcance.E tudo que eu consegui foi nada.

Eu me concentrei em objetivos,eu agi exemplarmente, eu fui nada menos do que o melhor que eu podia ser,no que quer que eu estivesse me propondo a ser.

Mas não consegui o que queria. Recebi muitos nãos,vi muita gente indo embora, recebi críticas e reclamações e fiquei sozinha de cara na porta fechada,depois de ter batido muito pra conseguir entrar. De fato, bater na porta até os dedos sangrarem não é garantia nenhuma de que vão abrir. Ficar sentada lá dias,noite e madrugadas,também não.
Deixar flores,cartas bonitas por baixo da soleira e tapetes com mensagens bonitinhas pode não fazer diferença ou até piorar.
A porta só abre quando o dono dela quiser abrir, não importa o que você faça.

E é isso que me dói,que me confunde, que me deixa indignada e injustiçada. Tem muita gente que ganha as coisas na vida naturalmente,sem um pingo de esforço, sem fazer absolutamente nada,por mera sorte,por mero acaso.

De fato, tem muita gente assim. E isso é a maior lição de que viver se esforçando não compensa muito. Se é possível conquistar o que você quer sem ter que se esforçar,então pra quê? Qual é o ponto de continuar nisso? Durante todo esse tempo eu me frustrei muito mais do que conquistei coisas por devido esforço. Vi muito mais pessoas que não tiveram que fazer absolutamente nada pra conseguir as mesmas coisas.

Eu tô cansada demais de tentar melhorar, de tentar agradar o mundo, de fazer tudo o que eu faço e me importar tanto pra no fim ter meu esforço todo jogado no lixo, sem ser reconhecido nunca, sem ser nem ao menos notado.

Eu amo muito todo mundo, sou carinhosa, me importo,cuido, presto atenção e aconselho,mas só o que eu recebo em volta são sorrisos amarelos e silêncio. Não adianta.

Com o tempo esse meu amor incondicional, de tanto ser chutado, empurrado pra longe e ignorado ia diminuir. Diminuir até sumir por completo, porque até o amor cansa se não recebe nada de volta. Essa história de que quem ama,ama por si só e não precisa de resposta é mentira.

Eu acreditava. Acreditava que podia amar gente que nem me conhece direito, gente que não gosta de mim, gente que não merece ser amado por ninguém.
Eu tinha lindos discursos sobre amar e me importar, mesmo que não recebesse nada em troca, porque o meu amor era suficientemente grande,sempre. Que podia ser como o oceano ou como um cobertor enorme,envolvendo todo mundo à minha volta. Mas sim,até o amor cansa de não ter eco nenhum.

Eu posso ser igual a todas essas pessoas que não se esforçam e ganham méritos. Eu posso.
Passei a vida sendo intensa e focada e isso não me trouxe nada mais que decepção e um sentimento de ser invisível e vazia. Eu achava que essas pessoas é que eram vazias. Mas elas são só leves e eu é que sou pesada demais pro mundo. Não quero mais ser insuficiente,não quero mais ter que me comparar a ninguém.

Eu nunca soube ser leve e distante. Eu sempre achei que eu tinha que fazer tudo o que eu sempre fiz pra ser relevante,em todos os momentos da minha vida.Eu nunca soube ser leve. Mas vou aprender a ser.

Se esforçar demais não vale a pena. Amar demais não vale a pena. Tentar ser melhor,também não. Em vez de arrastar esse peso,o melhor é passear pela vida apenas flutuando. Eu posso fazer isso. Eu posso.

“Amor não se pede, é uma pena. É uma pena correr com pulinhos enganados de felicidade e levar uma rasteira. É uma pena ter o coração inchado de amar sozinha, olhos inchados de amar sozinha. Um semblante autista de quem constrói sozinho sonhos. É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer,implorar.” [Tati Bernardi]

Anúncios