“The reason it hurts so much to separate is because our souls are connected. Maybe they always have been and will be. Maybe we’ve lived a thousand lives before this one and in each of them we’ve found each other. And maybe each time we’ve been forced apart for the same reasons. That means that this goodbye is both a goodbye for the past ten thousand years and a prelude to what will come.

When I look at you, I see your beauty and grace and know they have grown stronger with every life you have lived. And I know I have spent every life before this one searching for you. Not someone like you, but you, for your soul and mine must always come together. And then, for a reason neither of us understand, we’ve been forced to say goodbye.

I would love to tell you that everything will work out for us, and I promise to do all I can to make sure it does. But if we never meet again and this is truly goodbye, I know we will see each other again in another life. We will find each other again, and maybe the stars will have changed, and we will not only love each other in that time, but for all the times we’ve had before.” (Nicholas Sparks, The Notebook)

Sabe, foi difícil deixar você ir embora. Provavelmente foi a coisa mais difícil que eu já fiz.
Talvez porque em todas as minha projeções de mundo perfeito, você tava lá.

Eu nunca visualizei você indo embora. E eu tendo que viver sem você no meu mundo.

Mas aconteceu. Contra todas probabilidades, contra todas as conjunções estelares, contra toda a física ,química, matemática e outras ciências exatas. Contra tudo que era mais certo no mundo. Como subir no teto ou tentar nadar contra o fluxo do rio.


Aconteceu. Você foi embora. Eu tive que me acostumar. Lutei até onde pude, mas não tive como impedir.

Mas no começo eu ainda achei que seria só temporário. Porque você sempre inha e vinha quando queria, nunca foi muito constante.

Quem sabe dessa vez não fosse só mais um tempinho até você voltar?

Mas o tempo foi passando e você não voltou. E eu fiquei sem saber o que fazer comigo mesma, com todos os meus planos de vida, com a minha cabeça, com as minhas lembranças, com tudo aquilo que ficou.

E eu tive que me reiventar. Meu mundo sem você não existe,nunca existiu. Você pôs o pé pra fora, ele explodiu em mil pedaços.

E eu reconstruí tudo de um jeito diferente. Eu fiquei diferente. Conheci outras pessoas, mudei minha cabeça, fiz novos planos e projetei novas possibilidades de futuro.

Aí você apareceu de novo. Quis voltar pra minha vida devagar, como sempre. Até preencher ela em todos os espaços e tudo ser sobre, para e com você de novo. Mas eu não pude. Não posso.

Porque eu não sei mais ser assim. Eu não sei mais acreditar em ‘felizes para sempre’ , eu não sei mais entregar toda a minha felicidade da mão de alguém. Eu cresci e infelizmente, foi sem você.


E aqui estamos agora. De vez em quando você aparece, eu tomo um susto mas não é mais o frio na espinha de antes. Sobrevivo.

Não posso mentir e dizer que não me pego pensando ‘foi só um ano, depois tudo pode voltar a ser como era antes’ . Não, não vai ser.

Não pode ser. Né?

Porque mesmo que você voltasse de verdade, de vez, pra ficar.

Nós não somos mais os mesmos. A situação não é a mais a mesma. Os sentimentos então, com certeza ,não são mais os mesmos.

Às vezes eu queria que o tempo voltasse. Às vezes dá saudade. De você, de mim mesma , daquela época.

Toda vez que eu preciso explicar algo bobo sobre mim pra alguém, sobre derrubar copos d’água ou gostar de dormir muito ,ou algo sobre meus humores absurdos. Eu fico rindo sozinha e lembro que eu não precisava explicar nada disso pra você.

Porque você me conhecia tão bem. Aceitava os meus piores defeitos. Sabia a hora certa de me deixar sozinha e a hora de voltar e me abraçar, sem que eu precisasse pedir. Segurava a minha mão na hora de assistir filme, comprava meus chocolates preferidos e prestava a maior atenção em todas as besteiras que eu falava.

Acho que talvez eu tenha saudade não de você, mas de alguém igual a você. Os tempos andam difíceis e eu vivo procurando pedaços de você nas pessoas que encontro pelo caminho.

“Esse aqui tem os olhos da mesma cor”, “esse é alto igual a ele”, ‘”nossa,esse menino fala igualzinho a ele”

Todos são cópias. Ninguém é você.

O amor passou. O tempo passou. Eu,você. A gente passou. Mas as marcas disso tudo vão ficar pra sempre.

Ainda vou guardar as melhores lembranças da gente, aquelas mais preciosas de todas. Aqui, bem fáceis de achar.

Para quando eu fico triste e acho que esse mundo não tem mais jeito. Para quando eu me pergunto ‘pra que existir?’

São essas lembranças que eu resgato. São elas que me confortam. É só de você que eu lembro.

“Um dia eu tive isso. Isso pelo qual as pessoas passam a vida toda lutando. Eu tive.”

E sim,eu lembro pra não me permitir esquecer. Antes que eu esqueça seu rosto,seu cheiro,sua voz,seu gosto. Eu fico lembrando, pra não deixar que os momentos vão embora. Eu não quero esquecer e eu não vou.

Então, eu finalmente aprendi a não sofrer mais por perder você. A parar de me questionar porque não deu certo? Porque acabou? E porque tinha que ser assim?

Aprendi que o tempo da gente nessa vida acabou. Mas o adeus de hoje é apenas um até logo para a próxima encarnação.

Se cuida. Te vejo na próxima vida.

Anúncios